A História da familia de .

Luigi Angelo Masiero e Anna Garbo na Italia e no BRASIL

 

(fatos novos em Maio de 2013 me obrigaram a reescrever a história de Luigi e Anna , clike aqui e veja os fatos)

 

(Atualizado em 03 de maio de 2020)

 1 - Nosso Trabalho (como começou):

 

                                    Esse trabalho foi iniciado em 2007, após consultar um site com informações de diversas familia com sobrenome Maziero/Masiero, constatei que faltavam muitas informações de minha familia dos descendentes de Luigi Angelo Masiero e Anna Garbo, então resolvi iniciar essa atividade de pesquisador genealógico da minha familia. Consultei o Prof Carlos Nodari na Associação Massolin de Fiori em Porto Alegre, onde me orientou de técnicas e métodos de como efetuar pesquisas nessa área, pois as detentoras do conhecimento da historia normalmente oferecem resistencia para o fornecimento de informações familiares para um desconhecido (eu era naquele momento, um desconhecido para eles).

 

O passo inicial, é se apresentar informar de quem voce é neto e filho, dai tudo pode ser facilitado. Ele me repassou as informações que ele já dispunha de imigrantes com sobrenome Masiero, já que em suas pesquisas de mais de quinze anos, reuniu uma base de dados com mais de 600.000 nomes de imigrantes que imigraram para o Brasil de diversas localidades da Italia e de outros paises da Europa.

Após muitos contatos pessoais por telefone e por e-mail, consegui chegar a arvore genealógica do meu tataravô Luigi Angelo que veio da Italia, mais especificamente da "comuni" de Albignasego, proximo da cidade de Padova no Venêto no norte da Italia. Durante minhas pesquisas descobri que mais de vinte(20) familias com sobrenome Masiero que imigraram da Italia (quase todos de comunidades do entorno de Padova, no Venêto) para o Brasil, para os estados do Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais e outros estados

 

Como é comum nesse meio, e como acabei reunindo um grande numero de informações resolvi criar esse Site, para compartilha-lo com todos os Masiero/Maziero e até de outras familias que acabei mantendo contato e obtendo informações de grande valor histórico dessas familias. Após a criação do Site, onde contava a história dos descendentes do meu tataravô, (hoje ao consultar no Google basta escrever "familiamasiero" e será o primeiro, pois é um dos sites com maior numero de acessos do segmento, basta testar.

 

Com o decorrer do tempo, até hoje, acumulei um grande numero de informações de outras familias Masiero/Maziero, então resolvi disponibilizar essas informações, criei tres sub-paginas que são:

A primeira sub-pagina com tiitulo "Outras Familias Masiero" relaciono, como nome diz, outras familias com sobrenome Masiero/Maziero mas que não tem grau de parentesco com Luigi Angelo Masiero e Anna Garbo (meus tataravós), nessa sub-pagina mostro o local de origem dessa familia, a história contada por algum descendente, o mapa da cidade de origem na Italia, historia resumida da viagem desde a IItalia até a cidade em que se instalaram no Brasil, a arvore dos descendentes informada por familiar e algumas fotos enviadas.

Na segunda sub-pagina com titulo "Imigrantes Masiero" apresento uma relação de familias com sobrenome Masiero/Maziero que chegaram ao Brasil pelo porto de Santos em São Paulo, somente com os familiares que acompanharam e não obtivemos nehuma outra informação. Espero contato de algum descendente.

Na terceira sub-pagina com titulo "Outras Familias" relaciono familias que não tem sobrenome Masiero, mas tiveram algum relacionamento com familias com sobrenome Masiero(casamento e outros).

 

Durante esse período das minhas pesquisas já participei de varios encontros de Familias Masiero/Maziero, ocorridas em diversas localidade no Brasil, veja na pagina "Noticias" onde coloco algumas informações e fotos desses encontros.

Mas com relação aos descendentes de Luigi Angelo e Anna Masiero (meus tataravós) as informações que conseguia era com os descendentes vivos e foram muitas, mas em 2012 após participar de um seminário de Genealogia em Porto Alegre-RS, descobri o Site www.familysearch.org onde disponibilizam em meio digital (milhões de documentos), por continente, pais , região, comunidade, nascimentos, casamentos, e óbitos.

Após consultar os registros de nascimento e casamento do meu tataravô, descobri que ele teve nove(9) filhos nascidos na Italia, e só imigrou para o Brasil com tres(3) deles o restante ficou na Italia, cuja nova historia estarei contando nas paginas seguintes, espero viver para descobrir, compilar e contar esses fatos novos.

 

2 - Os motivos da decisão de imigrar para o Brasil:

 

                              Luigi Angelo Masiero e Anna Garbo, com a unificação das provincias ocorrida na Italia, em torno de 1860, após anos de lutas pelas posse das terras, e devido a falta de terras planas para cultivar ao norte da Italia na região do Veneto, em especial no entorno de Padova, viram chegar uma grande crise, levando o povo italiano a conhecerem a angustia a miséria a fome e a desesperança no futuro.

Tiveram noticias que no continente americano, mais especificamente na América do Sul, no pais chamado Brasil, faltava mão de obra para continuar a produção agricola, pois recentemente havia sido abolida a escravatura e os escravos abandonaram as fazendas, e os grandes produtores sem mão de obra para continuar tocando suas produção, pressionaram o governo brasileiro a incentivar a imigração de trabalhadores com experiencia agricola para continuar esse trabalho.

Logo os governantes do Brasil e da Italia uniram-se com objetivos complementares, ou seja, um sem possibilidade de proporcionar oportunidades de sobrevivencia digna com crescimento social do seu povo, o outro com falta de mão de obra para implantar o desenvolvimento programado e tornar-se uma grande potencia economica, proporcionando oportunidades aos que queriam construir um novo futuro, para seus descendentes.

 

Então difundiram, através de folhetos, informações junto ao povo do norte da Italia, das novas possibilidades de iniciar vida nova na América, com terras baratas e planas, excelente para o cultivo agricola, cuja experiencia exigida era a profissão da maioria do povo daquela região da Italia, e que não teriam dificuldade nenhuma para iniciar nova vida no novo continente.

Um dos motivos que mais incentivaram a familia de Luigi e Anna, foram noticias enviadas pelo irmão de Anna, Osvaldo Garbo que já tinha imigrado alguns anos antes para o Brasil ja estava instalado na colonia de Antonio Prado, e mandava cartas onde informava que as terras eram boas, havia muitos italianos já morando no local o clima era semelhante ao da Italia, o governo lhe forneceria uma colonia(lote) e ferramentas, com prazo de pagamento em 10 anos e que seriam bem recebidos na nova terra.

 

3 - Quando decidiram viajar ao Brasil:

 

Eram distribuidos aos moradores da região do Veneto (Padova, Albignasego e outras comunidades), informações através de folhetos distribuidos nessas localidades, varias formas de iniciar nova vida em outra localidade (Brasil). A tentação de mudar-se com sua familia para essas novas terras era muito grande, um deles era Luigi e Anna, já com 9(nove) filhos alguns já casados e netos, desde que souberam dessas informações sonhavam em mudar-se para o Brasil, mas a necessidade de sobrevivencia na Italia(custo de vida) e as raizes familiares, criava dificuldades de juntar recursos financeiros para iniciar nova vida na América.

Mas no final de 1890 e inicio de 1891, após reunir suas economias e de seus filhos, entenderam ser a hora de mudar-se para a América, que ocorreu no inicio de 1891.

Alguns filhos já casados, resolveram ficar e constituir suas familias na Italia e lá ficaram.

 

 

4 - A Pesquisa (como, chegaram ao Brasil e se instalaram):

 

Nessa pesquisa buscamos identificar todos os descendentes de Luigi Angelo Masiero e Anna Garbo, cujos descendentes localizados apresentamos nesse site. A pesquisa buscou informações que iniciaram no inicio do ano de 1891 com a viagem por terra na "Cumuni" de Albignasego, até a cidade de Padova, dai de trem até Milão no norte da Italia e mudando de trem até a cidade de Genova, de cujo porto partiam os imigrantes do norte da Italia para diversos continentes do mundo a maioria para a América. Embarcaram num navio de nome "ainda não identificado" para América com destino ao Brasil, depois de mais ou menos 30dias de viagem, chegavam no porto do Rio de Janeiro e se hospedavam na imigração da Ilha das Flores.

Após alguns dias hospedados, para recuperar-se da viagem, curarem doenças, obter documentos embarcavam em navios que os levassem a um novo destino. Luigi Angelo e familia embarcaram em um navio menor com outras familias, com rumo ao Rio Grande do Sul, chegando na cidade de Porto Alegre, ficavam hospedados na hospedaria de Charqueadas, aguardando barcos ainda menores para navegar em rios. O novo trajeto iniciava rio jacui e depois pelo taquari até o porto da cidade de Montenegro. la chegando os aguadavam "tropeiros" contratados pelo governo brasileiro, que os levaria em carroções e mulas por terra até a hospedaria dos imigrantes, na localidade de barracão (hoje Nova Milano) distrito de Caxias do Sul.

 

No local ficaram hospedados aguardando a liberação dos lotes de terras, tendo o Luigi Angelo recebido n lote n. 116 em 11/10/1891 na linha Almeida na nova colonia de Antonio Prado em implantação. após receber o lote juntamente com lorenzo e outras familias de imigrantes, partiram para conhecimento das terras, com funcionarios do governo, deixaram as familias (mulheres e crianças) na hospedaria em Caxias do Sul.

O traçado da linha almeida começava com os lotes n.º 001, na proximidade da cidade de Antonio Prado avançando em direção ao rio da Prata, afluente do rio das Antas, terminado com o lote n.º 140, bem nas barrancas do rio da Prata. Seguiram pela estrada que passava por Nova Roma, atravessaram o rio das Antas de canoas, e se dirigiam em direção a cidade de Antonio Prado, na metade do caminho entre o rio das Antas e Antonio Prado pegavam uma trilha aberta pelos imigrantes que já haviam se instalado e tomavam uma trilha em direção oeste até chegar ao lote n.º 116, e outros de outras familias que chegaram juntas da Italia.

 

No local escolhiam um local proximo de uma fonte de agua, e outras seguranças para construir o barraco para se instalar e iniciavam a construção de barracos, primeiro abrindo uma clareira derrubando as arvores e utilizando-as para construir o barraco e se proteger da chuva, frio e animais selvagens a noite.

Apos quase um mes de trabalho, coletivo de todas as familias, voltaram para o acampamento em Caxias do Sul onde deixaram as familias(mulheres e crianças), para leva-los até o local definitivo, levando ferramentas, mantimentos para o sustento no inicio da colonização.

 

No caso de Luigi e Lorenzo, todos ficaram, no inicio, morando na mesmo barraco construido no lote n.º 116 adquirido por Luigi, já que a familia era pequena, e poderiam se prroteger melhor morando juntos. Na linha 2 de julho e Trajano de Medeiros, paralelas a linha Almeida, ja tinha muitos colonos, instalados a alguns anos, vindos da Italia e da Polonia, inclusive alguns parentes, portanto sentiram-se menos isolados. O rio da Prata era abundante em peixes e ficava a algumas centenas de metros da casa, e com muitas arvores frutiferas, existiam tambem animais de porte, chamados de Antas, animal do tamanho de um suino grande, que originou o nome do rio proximo.

 

E após chegarem ao seu lote, eles receberam a ajuda do cunhado de luigi e tio de lorenzo o Osvaldo Garbo irmão de Anna Garbo, que já estavam instalados no lote 109 da mesma linha Almeida instalado desde 1888, os abrigavam, principalmente a noite, até construirem suas casas mais confortaveis no lote recebido.

 

O lote foi o que puderam adquirir, financiado por dez anos, receberam do governo um conjunto de ferramentas que chamavam de "Kit colono", que eram ferramentas para inicio da colonização constituido de serrote, pas, enxadas, martelos, pregos, dobradiças para construiram suas casas com suas proprias mãos e ajuda de parentes, cujos primeiros dias e noites eram de total apreensão em função do ambiente hostil, pois eram terras tinham muitos morros, mata fechada e repleta de animais selvagens.

Lorenzo Masiero 4 anos depois, recebeu o lote n.º 126 em 30/11/1895, e pode se instalar sua casa no seu lote com a familia.

 

Mas com todas essas adversidades, venceram as dificuldades, construiram suas casas, plantaram os itens agricolas para sua subsistência e para comercializar o excesso, também geraram os filhos nessa localidade. Os netos, bisnetos nasceram no local, e com o aumento da familias, partiam para outras terras e se espalharam por esse Brasil por varias cidades do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

 

5 - A história comprovada da origem do patriarca e a sua familia:

 

                                    Luigi Angelo Masiero nasceu na Itália em 1840 na comunidade de Albignasego (aproximadamente 20 km de Padova), situada na região do Veneto ao Norte da Itália, região de poucas terras cultivaveis que pertenciam, em geral aos senhores ricos da italia, a cidade de origem e a região podem ser vistos nos mapas abaixo.

Luigi Angelo conheceu Anna Garbo na localidade de Albignasego, os dados abaixo puderam ser resgatados após a disponibilização das imagens digitalizadas dos registros civis de nascimento/casamento/óbitos/outros desde 1871 de toda a Italia, casaram em Albignasego em 1860 e tiveram os seguintes filhos na Italia :

 

1- O primeiro filho do casal foi Lorenzo Masiero (meu Bisavô) nasceu em Albignasego em 12/04/1866. Em 30/03/1887 com 21 anos de idade conheceu e casou com Pierina Volpin, nascida em 1867 na localidade de Casalserugo filha de Luigi Volpin e Luiggia Noenta, e tiveram os filhos Maria Gioconda Masiero em 11/5/1888 e Antonio Masiero em 1890, os demais filhos do casal nasceram no Brasil e detalhados no item 9, dessa narrativa;

2 - O segundo filho do casal, Carlo Masiero também nasceu na localidade de Albignasego em 1867, Carlo conheceu e se casou em 1890 com Angela Virginia Cesarotto nascida em 1968 na localidade de Casalserugo, filha de e tiveram o primeiro filho em 1/12/1892 em Albignasego, de nome Giovanni Masiero. O Carlo Masiero não acompanhou se pai e irmão ao Brasil, e seus descendentes nasceram na Italia, onde nasceram osfilhos Giovanni Masiero em 1/12/1892 e Atillio Carlo Masiero em 25/3/1901. Tenho certeza que devem ter um grande numero de descendentes na Italia.

(essa deverá ser a nova história de parentes separados pelo oceano Atlantico, que espero conta-la);

 

3 - O terceiro filho do casal foi Angelo Masiero, nasceu em 1869 na localidade de Albignasego e faleceu em 25/03/1878, com nove anos de idade, cujas causas desconhecemos;

 

4 - O quarto filho do casal foi Natalina Masiero, nasceu em 9/03/1872 na localidade de Albignasego, em 1891 com 19 anos casou com Eugenio Brugnolo, filho de Luigi Brugnolo e Filomena Reinello. O casamento ocorreu alguns meses antes do embarque do pai e irmãos para o Brasil, o casal permaneceu na Italia. Também tenho certeza que devem ter um grande numero de descendentes na Italia desse casal.

(essa historia também espero que algum descendente me repasse para poder conta-la um dia).

 

5 - O quinto filho do casal foi Ferdinando Masiero, nasceu em 1/03/1874 em Albignasego. Ferdinando acompanhou o pai para o Brasil, o resto da historio é contada no item 9.2;

 

6 - O sexto filho do casal foi Pasqua Masiero, nascida em 7/04/1877 em Albignasego. Pasqua faleceu no parto no mesmo dia do nascimento;

 

7 - O sétimo filho do casal foi Regina Masiero, nascida em 7/04/1877 em Albignasego. Regina também faleceu no parto no mesmo dia do nascimento;

 

8 - O oitavo filho do casal foi Angelo Domenico Masiero, nascido em 9/6/1879 em Albignasego. Angelo faleceu no dia seguinte por complicações pós parto;

 

9 - O nono filho do casal foi Angelo Masiero, nascido em 14/5/1882 em Albignasego. Angelo acompanhou o pai para o Brasil, o resto da historiaé contada no item 9.3;

 

Portando vieram com o pai Luigi Angelo Masiero e Anna Garbo os filhos Lorenzo casado com Pierina Volpin e os filhos Maria Giacona e Antonio, Ferdinando(17 anos e solteiro), Angelo(com 1 ano);

 

 

Abaixo alguns mapa dos locais de origem dos nossos antepassados.

    mapa da Itália(1) e da região do Vêneto(2), e da localidade de Albignasego(3) próximo de Padova, onde nasceu Luigi Masiero e os filhos.

6 - Inicio da viagem para a América:

 

                              Luigi Angelo Masiero e Anna Garbo juntamente com filhos e neto, após venderem seus poucos bens partiram de Albignasego foram de carretas até a cidade de Padova e de la tomaram um trem até a cidade de Milão e embarcaram em outro trem e rumaram até a cidade de Genova.

 

Em Genova aguardaram alguns dias(ou semanas não tenho essa informação) até a chegada do navio que os levariam ao seu destino. Embarcaram, e partiram em direção ao Brasil, sendo que o tempo normal de viagem, na época, de navio a vapor era de 30(trinta) dias, mas esse barco era um misto de vapor e navio a vela, e levaram quase 50(cinquenta) dias, pois quando já estavam proximos do Brasil o barco sofreu danos no motor, então passaram a navegar com auxilio das velas para terminar a viagem, mas a traiçoeiras calmarias jogaram o barco ao sabor das correntes maritmas por semanas até o conserto do motor.

 

(historia contada por Pierina Volpin a seu neto Lorenço Masiero).

 

Vieram juntos os filhos Ferdinando Masiero com 16 anos solteiro, Lorenzo Masiero com a esposa Pierina Volpin juntamente com os filhos Maria Giacona Masiero com 2,5 anos e Antonio Masiero com 1 ano, e Angelo Masiero veio com 9 ano de idade.

 

7 - Maratona da viagem até chegar ao Destino:

 

       Após o navio chegar ao Brasil, o primeiro porto de desembarque foi na cidade do Rio de Janeiro na ilha das flores, local construido pelo governo brasileiro para desembarque dos imigrantes que chegavam de diversas partes da Europa, denominado de hospedaria das flores, onde eram identificadas suas origens, profissão, tudo era registrado no livro de imigração, (onde hoje podemos buscar informações da data de chegada e o nome do barco), eram instalados em alojamentos confortaveis para a época, recebiam refeições normais e fartas durante o dia, tratadas suas doenças oriundas do seu pais de origem, ou adquiridas durante a viagem, recebiam nova documentação pessoal e aguardavam a chegada de barcos para leva-los para seu destino.

 

E durante sua pemanencia na hospedaria das flores, eram assediados por emissarios de coronéis e fazendeiros, que ofereciam locais de trabalho em estados no centro do pais, pois muitos imigrantes, estavam anciosos para estabelecerem-se ou não tinham ainda destinação certa.

Mas Luigi e a familia tinham um objetivo, vir para a zona de colonização italiana no Rio Grande do Sul, onde já estava se instalado alguns conhecidos seus, e já tinham mandado boas noticias, no caso o cunhado Osvaldo Garbo. Logo embarcaram em um novo navio a vapor em direção a Porto Alegre onde chegaram após sete dias de viagem, e logo após o desembarque outro barco de navegação de rio os aguardava e os levou até a localidade de Montenegro na costa do rio Taquari, a viagem durou quase um dia, onde finalmente concluiram a viagem por agua.

 

Na localidade de Montenegro tropeiros (transportadores da época) os aguardavam e os levaram por terra em carroças com seus pertences e/ou em lombos de burros, até a localidade de Caxias do Sul , onde o governo mantinha um departamento de atendimento aos imigrantes, denominado Comissão de Terras e Colonização, onde se instalaram e puderam negociar o lote(colonia) de terra acessivel com os poucos recursos financeiros que ainda dispunham, pois grande parte foi gasto durante a viagem.

Essas novas colonias foram constituidas desde 1884, que foi nos municipios de Veranópolis e Antonio Prado que foram prolongamentos naturais de Caxias do Sul já totalmente ocupada e colonizada.

 

8 - Compra das terras e instalação no novo lar:

 

Em Agosto de 1891 o Luigi Angelo Masiero recebeu o lote de numero 116, registrado no livro SA300 (o livro hoje está arquivado no memorial do imigrante em Porto Alegre), e para chegar ao local denominado geográficamente de linha Almeida, situado no povoado de Santana onde estava iniciando nova colonização, e situava-se na estrada Ernesto Alves partindo do municipio hoje denominado Veranopolis em direção a localidade de Santana que situava-se a 26 km adiante, na encosta do rio da prata, uns 30 km antes de Antonio Prado.

 

O lote comprado ficava a 1 km após a transposição do rio da prata, e tinha 302.500 metros quadrados, o valor do lote concedido pela comissão de terra foi a um custo de de 187.560 réis, e também foi adiantado um auxilio de instalação de 150.380 réis que deveria ser pago em 10 anos. Após alguns dias, receberam mantimentos para sobrevivencia nos primeiros meses, e ferramentas para construir sua casa e então iniciar a derrubada da mata e cultivar da terra.

 

Também em 1891 o Lorenzo Masiero também recebeu um lote o de numero 126, que ficou registrado no livro SA300, com uma área de 151.250 metros quadrados, assumindo uma divida de 157.250 réis do valor da terra e mais 150.380 réis de auxilio para instalar-se no local.

 

Alguns dias após Luigi com a esposa Ana Garbo e os filhos Ferdinando, Lorenzo com a esposa Pierina Volpin e a filha Palmira e o terceiro filho Angelo pegaram a estrada (chamada de picada) já abertas por funcionarios do governo e melhoradas por outros imigrantes que já tinham se estabelecidos na região, seguiram costeando o rio das Antas e entraram no rio da Prata até o local comprado que já estava demarcado pelo governo, onde se estabeleceram e iniciaram uma nova vida.

 

A Divida dos dois lotes foram saldadas junto a comissão de terras em 19 de julhode 1901(de Luigi) e em 24 de dezembro de 1901(lorenzo) respectivamente (conforme registro no livro de dividas do governo).

 

Nos primeiros dias após chegarem aos seus lotes, ficaram hospedados na casa do cunhado, Osvaldo Garbo(irmão de Anna Garbo), que já estava instalado a mais de dois anos , em um lote proximo. Durante semanas derrubaram a mata e com a madeira, que eles mesmos beneficiavam, construiram as suas casas com as ferramentas que receberam do governo. Quando terminaram as casas a mudança da familia, foi comemorada com os moradores do entorno, pois a solidariedade era muito grande entre os colonizadores.

 

Abaixo o mapa da localização do Rio Grande do Sul no mapa do Brail, a localização geográfica da região italiana na serra gaucha onde a maioria dos imigrantes se instalaram após chegarem ao Brasil, e a localidade de Santana onde a familia de Luigi e familia compraram seus dois lotes.

 

 

 

 

mapa do Brasil
Região de colonização Italiana no Rio Grande do Sul
Localização do povoado de Santana, onde se instalaram

            Região entre Veranopolis, Nova Roma do Sul e Antonio Prado onde se instalou Luigi Masiero e sua familia

 

 

9 - Abaixo relação dos filhos de Luigi Angelo Masiero e Anna Garbo que os acompanhou na vinda ao BRASIL;

                              

                          9.1 - Lorenzo Masiero e Pierina Volpin,

 

Lorenzo Masiero nascido em 1866 em Albignasego no Venêto na Italia e Pierina Volpin nascida em 1865 em Casalserugo no Venêto na Italia filha de Luigi Volpin e Luigia Noenta, juntamente com a filha Maria Gioconda Masiero nascida em 1888 em Albignasego na Italia, e Antonio Masiero nascido em 1889 em Albignasego na Italia, desembarcaram 20/4/1881, primeiro no porto do Rio de Janeiro e ficaram hospedados na Ilha das Flores depois seguiram para o Rio Grande do Sul que em 30/08/1891 na Comissão de terras e Colonização compraram um lote de terras, na linha almeida de nº 126 com 302.500m no povoado de Santana, proximo do rio da prata no municipio de Antonio Prado, e também proximo ao lote já comprado pelo pai Luigi, no local construiu sua casa e teve todos os filhos.

 

A seguir uma pequena história de cada filho de Lorenzo e Pierina Volpin que são:

 

Maria Giocona Masiero nasceu na Italia em Albignasego em 1888, e casou-se em 1912 com Vittore Reginato, nascido em 1889 na comuni de Padermo del Grappa na região de Treviso. Após o casamento, mudou-se para a localidade de Nova Bassano na época distrito de Nova Prata, hoje municipio emancipado, e la nasceram os (12) filhos :   Assunta (1912), Angelo (1913), Jose (1914), Genoveva Carolina (1915), Carolina (1915), Dosolina (1916), Abrão (1918), Aurélia (1919), Elvira (1920), Gema (1921), Luiza (1922) e Guilherme (1924).

Os filhos de Maria Giacona e Vittore casaram e constituindo familia onde:

Angelo casou com Regina Minosso;

Jose casou em 1936 com Dosolina;

Genoveva Carolina casou em 1944 com Rodolfo Masiero e tiveram 6 filhos;

Carolina casou com Jose Boschi;

Dosolina casou em Segundo Bonelli;

Abrão casou com Angelina Campana;

Aurélia Casou com Angelin Minotti;

Luiza Casou com Angelo Dall Agnol.

Após constituirem as familias nasceram os filhos e netos e permanecem na região em varios municipios.

 

informações repassadas por ....

 

Antonio Masiero nasceu na Italia em Albignasego em 1890, vindo a falecer durante a viagem para o Brasil em 1891.

 

Abramo Masiero nasceu na linha almeida, no povoado de Santana no municipio de Antonio Prado em 1892, e faleceu em 1915, com 23 anos de acidente durante o corte de uma arvore, ainda solteiro.

 

Palmira Masiero nascida na linha almeida, no povoado de Santana em 1894, cresceu na localidade la cresceu e conheceu Antonio Martello nascido em Albignasego, Veneto na Italia em 1884, e casou em 1908, tiveram (16) filhos que são:

José Carlos (1910), Antonia (1912), a vida estava dificil, a produção na terra não era suficiente para o sustento da familia e o casal resolveu mudar-se para a localidade de Nova Basano distrito de Nova Prata(RS), onde já morava sua irmã Maria Giacona e o marido Vittore Reginato, e em Nova Basano nasceram os filhos : Assunta (1914), Angelin (1916), Luiz (1918), João (1920), em torno de 1920, mudou-se novamente com toda familia para o municipio de Sananduva(RS), onde nasceram os filhos : Amalia(1922), Maria(1924).

Novas dificuldades surgiram para criar uma familia numerosa em terras pouco produtiva de Sananduva e novamente em torno de 1925 mudaram-se com toda familia para o municipio de Erval Grande-RS, onde nasceram Odila (1936), Anailde (1938), Devina (1926), Fiorindo (1934), Valdomiro (1928), Luiza (1930), Vicente (1932) e Jandir (1943).

 

Os filhos de Palmira e Antonio foram casando com:

Jose Carlos casou com Amalia Secco;

Antonia Casou em 1932 com Arcangelo Foscarini e tiveram 11 filhos;

Assunta casou com Albini Sarolli;

Angelo em 1940 casou com Angelina Tessaro e tiveral 15 filhos;

Luiz casou com Regina Usbeli;

João casou em 1940 com Catarina Dalprá e tiveram 4 filhos depois casou com Maria Castanha em 1951 e tiveram 2 filhos;

Amalia casou com Selvino Bertollo;

Maria casou com Altelmo Bertollo;

Delvina casou com Anibal Vassoler em 1948 e tiveram 1 filha;

Florindo casou em 1954 com Ines Marcantee tiveram 3 filhos;

Odila casou com Provino Marcante;

Anailde casou com Antonio Sokoloski;

Jandir em 1964 casou com Inelvi Silvani e tiveram 5 filhos.

 

Em cada mudança de cidade, os filhos casavam e permaneciam com a familia nessas localidades, atualmente os filhos e netos de Palmira e Antonio moram nos municipios de Nova Prata, Sananduva, Erval Grande, Xapecó(SC), e outras localidades.

 

Informações repassadas por Jandir Martello filho de Palmira.

 

Assumpta Valentina Masiero nasceu em 1897 na linha Almeida no povoado de Santana no municipio de Antonio Prado em 1897, onde cresceu, conheceu e casou-em 1915 com Honorato Ventura Cadore nascido ma linha almeida em 1897, o casal permaneceu na região onde tiveram os 7 filhos que são:

Aurélia (1919), Afonso (1921), Olívia (1920), Teresa (1925), Geraldo Lourenço (1928), Irmã (1931) e Alice (1933) todos constituiram familia e mudaram-se para varios municipios do RGS.

 

veja mais informações dessa Familia no site da Familia Cadore)

 

Luiz Masiero nasceu em 1899 na linha Almeida no povoado de Santana no municipio de Antonio Prado, onde conheceu e casou-se 1921 com Paulina Zanaro nascida em 1900 na linha Almeida. Logo após o casamento mudou-se para o povoado fundado por imigrante poloneses denominado de Santana Velha em Antonio Prado, onde nasceram os filhos: Anita (1922), Santina 1924), Teresa (1926), Antonio (1928), Afonso (1930).

m os irmãos da esposa, seus cunhados, e la nasceram os demais filhos Lourenço (1932), Rosalina (1934), Maria (1936), Adelaide (1938), e Pierina (1940).

 

Os filhos de Luiz e Paulina casaram com:

Anita casou com Domingo Toigo;

Santina casou em 1943 com Maximiliano Poggere e tiveram 8 filhos, após falecimento Maximiliano casou com Waldemar Trevisol;

Teresa casou com Isidoro Pozzebom e tiveram 7 filhos;

Afonso casou em 1952 com Assunta Antonello e tiveram 8 filhos;

Lorenço casou em 1952 com Ana Brunetto e tiveram 5 filhos;

Rosalina casou em 1953 com Laudelino dos Santos e tiveram 8 filhos;

Maria casou em 1955 com Bento Bueira e tiveram 3 filhos;

Adelaide casou em 1957 com Napoleão Gonçalves de Moraes e tiveram 2 filhos.

Novamente em 1945 Luiz e Paulina e os filhos mudaram-se novamente para o Oeste do Paraná, no municipio de Catanduvas, onde seus filhos cresceram constituiram familias e ainda moram até hoje na região. 

 

informações repassadas por Angelin Maziero, Ailson Masiero, Itacir Masiero, descendentes de Luiz.

 

Baptista Masiero nasceu em 1901 na linha Almeida no povoado de Santana, proximo ao rio da prata, no municipio de Antonio Prado, cresceu no local e conheceu e casou-se 1919 com Elisa Cadore nascida em 1902 também na linha Almeida.

Desse casamento nasceram os 7 filhos: Rodolfo(1921), Atílio (1923), Ernesto (1925), Candido (1929), Olivo (1931), Lourenço (1933) e Lidia (1934).

 

Em 1939 com falecimento de Elisa Cadore, casou-se novamente em 1941 com Maria Guarda nascida em 1902 em Veranópolis-RS, e tiveram 3 filhos, que são:

Elisa (1943), Melci (1944) e Ancila (1947).

Todos os filhos de Baptista, nasceram e foram criados no povoado de Santana (próximo ao Rio da Prata).

 

Os filhos de Baptista e Elisa depois Maria casaram com:

Rodolfo casou em 1944 com Genoveva Carolina Reginato e tiveram 6 filhos;

Atilio casou em 1949 com Mirte de Bonna e tiveram 9 filhos;

Ernesto casou em 1951 com Higiene Angela Bogoni e tiveram 5 filhos;

Candido casou em 1950 com Catharina Maria Nardello e tiveram 3 filhos;

Olivio casou em 1972 com Ilda Gemma Chiaradia e tiveram 2 filhos;

Lidia casou em 1960 com Laurindo Furlan e tiveram 4 filhos;

Elisa Casou em 1962 com Severino Fellipio e tiveram 3 filhos;

Melci casou em com Nair Bellé e tiveram 2 filhos;

Ancila casou em 1971 com Otacir Marin e tiveram 2 filhos.

 

Todos os filhos de Baptista casaram conheceram suas companheiras no povoado de Santana, após casarem mudaram-se para para locais longe de onde nasceram e foram criados .

Rodolfo e Olivio mudaram-se para Nova Prata, Candido, Lidia e Lourenço mudaram-se para Porto Alegre, Ernesto mudou-se para Caxias do Sul, Atilio mudou-se inicialmente para São Miguel do Oeste-SC, depois para Sananduva e finalmente para Francisco Beltrão no Paraná, onde moram a maioria dos descendentes.

 

(clique e veja a historia completa de Atilio Masiero casado com Mirte de Bonna).

 

Finalmente Melci, Ancila mudaram-se para a sede do municipio de Antonio Prado e Elisa mudou-se para o municipio de Carazinho.

Batista faleceu em 1986 em Canoas e foi enterrado no cemitério de Antonio Prado.

 

Informações repassadas por Lorenço Masiero e Melci Masiero, descendentes de Batista.

                  9.2 - Ferdinando Masiero e Maria Genoefa Costa

 

Ferdinando Masiero nascido em 1874 em Albignasego, região do Venêto na Italia, embarcou com o pai Luigi Masiero e a mãe Anna Garbo chegou ao Brasil em 1891, com 16 anos e morou com os pais e o irmão Angelo no lote 126 da linha Almeida em Antonio Prado. Na linha Almeida cresceu e conheceu Maria Genoefa Costa , ela nascida em 1879 na localidade de Rotzo Altipiano de Asiago no norte da Italia, filha de Antonio Costa e Catherina Della Costa e casaram-se em 1 de abril de 1894, e foram morar com os pais de Ferdinando. no povoado de Santana onde nasceu a primeira filha Anna Elvira Masiero(1895).

 

Mas em 1896, devido as dificuldades de cultivar nas terras do pai, pois não conseguia tirar o sustento de sua familia resolveu mudar-se para o distrito de Protasio Alves do municipio de Lagoa Vermelha, onde ja moravam os pais de Maria Costa.

Em Protasio Alves nasceram os filhos:

Luis Masiero (1902), Albino (1904), Theresa (1906), Pierina (1908), Antonio Fernandes (1910), Lucia (1912, Cezira (1914), Amélia (1916), Carolina (1918).

 

Em 1920 por influencia dos irmãos de Maria Genoefa Costa e após o casamento do seu filho Luis Masiero, que já tinha terras e uma serraria na localidade de Capinzal em Santa Catarina, mudou-se com toda familia para a proximidade de Capinzal, na localidade de linh Bonita (hoje linha Maziero) e lá ainda tiveram os filhos Augusta (1920) e Theodorico (1922) totalizando 12 filhos.

 

Consultando e pesquisando com parentes do passado, nenhum consegiu me informar o que aconteceu com o casal e filhos, nem para onde foram. Mas as coisas quando é para acontecer, acontece. Procurando na Internet informações sobre a familia Masiero, localizei um filme no Youtube, sobre um encontro da familia Maziero no localidade de Pinheiro Alto no municipio de Ouro em Santa Catarina em 1910. Entrei em contato com alguns dos organizadores do encontro e consegui informações que Ferdinando e Maria Genoefa Costa com todos os filhos pequenos, adolescente e casados mudaram-se em 1920 para localidade de Linha Bonita no distrito de Ouro(hoje municipio) do municipio de Capinzal,

 

(veja a Historia da mudança de Protasio Alves distrito de Lagoa Vermelha no RGS para linha bonita distrito de Ouro-SC no municipio de Capinzal Sta Catarina).

 

Ferdinando e Maria mudaram-se com toda familia de Protasio Alves até localidade de Ouro em Santa Catarina. Era tanto Masiero/Maziero no povoado que passou a chamar-se de Linha Maziero, permanecendo o nome até hoje.

 

A seguir pequena história dos filhos de Ferdinando Masiero:

 

Anna Elvira Masiero, nasceu em 1895 no distrito de Santana em Antonio Prado, um ano após o seu nascimento mudo-se com os pais para localidade Protásio Alves distrito de Lagoa Vermelha. Na localidade conheceu e casou-se com Antonio Prigol em 1917.

Em Protasio Alves nasceram os 7 primeiros filhos: Uliana (1915), Eugenio Fernandes(1918), Albino (1920), Olimpio (1922), Joaninha (1929), Dionisio (1931) e Justina (1933).

Em torno de 1933 mudaram-se com todos os filhos para localidade de Sagrado Coração no municipio de Seara em Sta Catarina. Lá nasceram mais 3 filhos: Adurino (1935), Ermindo (1937) e Dorvalino (1939).

 

Os filhos de Anna Alvira e Antonio cresceram e casaram com :

Uliana casou em 1935 com Américo Zanin e tiveram 13 filhos;

Eugenio Fernandes casou em 1940 com Genoveva Benin e tiveram 8 filhos; Albino casou em 1944 com Norma Zenin e tiveram 6 filhos;

Olimpio casou em 1944 com Dolores Paludo e tiveram 2 filhos;

Joaninha casou em 1950 com Alberto Luiz Deitos e tiveram 7 filhos;

Dionisio casou em 1951 com Maria Capelaro e tiveram 7 filhos;

Justina casou em 1952 com João Bedin e tiveram 10 filhos;

Adurino casou em 1963 com Jacir Barbieri e tiveram 7 filhos e Dorvalino casou em 1959 com Olimpia Zanluchi e tiveram 1 filho.

 

Os filhos após casamento nasceram os netos e bisnetos e quase todos moram na cidade de Seara-sc ou em comunidades no interior do municipio.

O Anna Elvira Masiero faleceu em Seara-SC em 1980 e esta enterrada no cemitério da cidade , Antonio Prigol faleceu em 1971 em Ipira-SC, e esta enterrado Seara-SC.

 

informações repassadas por Nailton Prigol, Clair Antonio Prigol, Egidio Prigol e Hildo Prigol todos netos de Anna Elvira Masiero.

 

Luiz Masiero, nasceu em 1902 no distrito de Protasio Alves, (hoje municipio), do municipio de Lagoa Vermelha-RS. Em 1920 casou-se com Maria Justina Prigol e mudou-se para localidade de Linha Bonita (hoje Linha Maziero) no distrito de Ouro-SC no municipio de Capinzal-SC.

 

No municipio de Ouro-SC nasceram os 13 filhos que são:

Aparicio (1922), Oliana (1924), Lino João (1926), Izaltino (1928), Aurora (1930), Isolina (1932), Joana (1933), Albina (1934), Ines (1936), Carmela (1938), Fernandes (1940), Gentila (1942), Diolindo (1944).

 

Os filhos de Luiz e Maria cresceram e casaram com :

Aparicio casou em 1943 com Olimpia Zanini e tiveram 10 filhos;

Oliana casou em 1944 com Abramo Colombo e tiveram 4 filhos;

Lino João casou em 1948 com Ignes Colombo e tiveram 5 filhos;

Izaltino casou em 1947 com Maria Marta Toti e tiveram 6 filhos;

Aurora casou em 1950 com Marcelino Zanini e tiveram 8 filhos;

Isolina casou em 1951 com Pedro Paulo Brambila e tiveram 5 filhos;

Joana casou em 1954 com Djalmo Bareta e tiveram 6 filhos;

Albina casou em 1954 com Massueto Gubert e tiveram 6 filhos;

Ignes casou em 1955 com Albino Colombo e tiveram 3 filhos;

Carmela casou em 1958 com Paulo Cruz e tiveram 3 filhos;

Fernandes casou em 1960 com Luiza Baretta e tiveram 5 filhos;

Gentila casou em 1962 com Matias Lanhe e tiveram 2 filhos;

Diolindo casou em 1964 com Delpina Baretta e tiveram 4 filhos.

 

Os filhos de Luiz Maziero e Maria Justina Prigol todos nasceram em Ouro-SC e casaram no local e nasceram os netos e bisnetos. Alguns moram em cidades da rendondeza.

 

Informações repassadas por Fernandes Maziero, Diolindo Maziero, Ernesto Adriano Maziero, todos descendentes de Luis Masiero

 

Albino Masiero, nasceu em 1904 no distrito de Protasio Alves (hoje Municipio) do municipio de Lagoa Vermelha-RS. Em 1920 com 16 anos, mudou-se com a familia para localidade de Linha Bonita (hoje Linha Maziero) no distrito de Ouro-SC (hoje Municipio) no municipio de Capinzal-SC. faleceu em 1931 na localidade.

 

Theresa Masiero, nasceu em 1906 no distrito de Protasio Alves (hoje Municipio) do municipio de Lagoa Vermelha-RS. Em 1920 com 12 anos mudou-se com toda familia para localidade de Linha Bonita (hoje Linha Maziero) no distrito de Ouro-SC (hoje Municipio) no municipio de Capinzal-SC. Na localidade cresceu, conheceu e casou em 1926 com Domingos Prigol e tiveram 10 filhos.

 

No municipio de Capinzal, tiveral os seguintes filhos :

Arestildes (1920), Luiz (1922), Natalino (1925) casou com Zilak Baretta e tiveram 9 filhos, Maria Uliana (1927), Albina (1929), Iris (1931), Nevio (1933) casou com Idavina Modena etiveram 3 filhos, João (1935), Olga (1937), Vitória (1939) casou com Nivaldo Melo de Almeida e tiveram 3 filhos.

 

Estou procurando os descendentes de Theresa Masiero casada com Domingos Prigol, se voce souber entre em contato comigo no e-mail emirmasiero@gmail.com.

 

Pierina Masiero, nasceu em 1908 no distrito de Protasio Alves (hoje Municipio) do municipio de Lagoa Vermelha-RS. Em 1926, já morando na localidade de Linha Bonita (hoje Linha Maziero) no distrito de Ouro-SC (hoje Municipio) no municipio de Capinzal, onde cresceu e conheceu Vitório Matielo com quem casou em 1926.

E tiveram os seguintes filhos:

Abilio (1927), Oreste (1930), Maria (1932), Placida (1934), Macemino (1936), Antenisca (1938), Lurdes (1940), Oldes (1942), Antoninho(1944), Grispino (1946), Alvize (1948);

Os filhos de Pierina e Vitório Matielo cresceram e casaram com : Abilio casou em 1946 com Rosalina Reck e tiveram 5 filhos.

Informações repassadas por Patricia Matielo, neta de Pierina, estou aguardanndo mais informações dos descendentes de Pierina e Vitório.

Antonio Fernando Masiero, nasceu em 1910 no distrito de Protasio Alves (hoje Municipio) do municipio de Lagoa Vermelha-RS, com 10 anos mudou-se com toda familia para a localidade de Linha Bonita (hoje Linha Maziero) no distrito de Ouro-SC (hoje Municipio) no municipio de Capinzal-SC. Lá cresceu e conheceu Ignês Zucollo com quem e casou em 1926.

O casal teve 14 filhos todos nascidos em Ouro-SC, que são:

Irineu (1928), Alfeu (1928), Adiles (1930), João (1932), Albino (1934), Izaltino (1936), Maria (1938), Aurora (1939), Norma (1942), Alice (1944), Lodoveu (1946), Cerjo (1948), Imelda (1950) e Dirceu (1952).

Os filhos de Antonio e Ignes todos nasceram em Ouro onde cresceram e se casaram com :

Irineu casou em 1949 com Eleonora Mate e tiveram 6 filhos;

Alfeu casou em 1948 com Leonilda Rech e tiveram 6 filhos;

Adiles casou em 1950 com Dinarte Colombo e tiveram 8 filhos;

João casou em 1952 com Elcy Montanari e tiveram 3 filhos;

Albino casou em 1954 com Beatriz Américo Ribeiro e tiveram 3 filhos;

Maria casou em 1956 com Henrique Colombo e tiveram 5 filhos;

Aurora casou em 1958 com Alvadi Manfredini e tiveram 5 filhos;

Norma casou em 1960 com Armintio Anselmo Schwingel e tiveram 4 filhos;

Alice casou em 1963 com Valmor Izaltino da Silva e teve 3 filhos;

Lodoveu casou em 1966 com Cristina Trembulak e tiveram 2 filhos;

Cerjo casou em 1969 com Marlene Balbinotti e tiveram 2 filhos;

Imelda casou em 1969 com João Prates Borges e tiveram 2 filhos;

Dirceu casou em 1973 com Maria do Carmo e tiveram 2 filhos.

 

Informações repassadas inicialmente por por Alcioni Maria Manfredini de Campos neta de Antonio..

 

Lucia Masiero, nasceu em 1912 no distrito de Protasio Alves (hoje Municipio) do municipio de Lagoa Vermelha-RS, com 8 anos mudou-se com toda familia para a localidade de linha bonita no distrito de Ouro em SC.

 

Estou procurando descendentes de Lucia Masiero para montar a arvore genealogica, entre em contato comigo no e-mail emirmasiero@gmail.com.

 

Cezira Masiero, nasceu em 1914 no distrito de Protasio Alves (hoje Municipio) do municipio de Lagoa Vermelha-RS, com 6 anos mudou-se com toda familia para a localidade de linha bonita no distrito de Ouro em SC.

Cezira cresceu em Ouro-SC, la conheceu e casou em 1933 com Delino Ligno.

 

Estou procurando descendentes de Cezira Masiero para montar a arvore genealógica, see voce souber entre em contato comigo no email emirmasiero@gmail.com.

.

Amélia Masiero, nasceu em 1916 no distrito de Protasio Alves (hoje Municipio) do municipio de Lagoa Vermelha-RS, com 4 anos mudou-se com toda familia para a localidade de linha bonita no distrito de Ouro em SC.

Na localidade cresceu e conheceu Marco Muraro com quem casou em 1936. Todos os filhos e netos nasceram no municipio de Ouro em SC.

 

Estou procurando descendentes de Amélia Masiero casada com Marco Muraro para montar a arvore genealogica dessa familia, entre em contato comigo no e-mail emirmasiero@gmail.com.

 

Carolina Masiero, nasceu em 1918 no distrito de Protasio Alves (hoje Municipio) do municipio de Lagoa Vermelha-RS, com 2 anos de idade mudou-se com toda familia para a localidade de linha bonita distrito de Ouro SC. Na linha Bonita conheceu e casou-se em 1938 com Eugenio Durigon e tiveram os filhos e netos.

 

Estou procurando descendentes de Carolina Masiero casada com Eugenio Durigon para montar a arvore gnealógica da familia, entre em contato comigo no e-mail emirmasiero@gmail.com.

 

Augusta Maziero, nasceu em 1920 em Linha Bonita (hoje Linha Maziero) no distrito de Ouro(hoje municipio) na época municipio de Capinzal-SC. Na linha Bonita cresceu e conheceu Francisco Marcon com quem casou-se em 1940.

 

Estou procurando descendentes de Augusta Maziero casada com Francisco Prigol para montar a arvore genealógica dessa familia, entre em contato comigo no email emirmasiero@gmail.com.

 

Theodorico Maziero, nasceu em 1922 em Linha Bonita (hoje Linha Maziero) no distrito de Ouro(hoje municipio) na época municipio de Capinzal-SC. Na linha bonita cresceu, e conheceu Maria Scopel, com quem casou em 1942.

 

Estou procurando descendentes de Theodorico Maziero casado com Maria Scopel para montar a arvore genealógica dessa familia, entre em conttato comigo no e-mail emirmasiero@gmail.com.

 

 

  9.3 - Angelo Masiero e Maria Bee ,

 

Angelo Masiero nasceu em 1882 na comun de Albignasego na Italia, cresceu na linha almeida no povoado de Santana no municipio de Antonio Prado onde conheceu e casou em 1902 com Maria Bee, filha de Alessandro Bee e Anna Dalugna. Angelo apos o casamento com Maria ficou morando na mesma casa e no lote do Pai Luigi, pois era grande e confortavel.

 

Dessa união nasceram na linha Almeida os 12 filhos que são:

Emilia (1904), Luiz (1908), Antonio (1909), José (1910), João (1913), Ana (1916), Pedro (1920), Graciosa (1921), Teresa (1922), Lucia (1924), Dozolina (1926) e Luiza (1928).

 

Mas com uma familia numerosa (12 filhos) e dificuldades para o cultivo da terra no local, onde as terras eram boas para o cultivo mas em topografia irregular, e insuficiente para o sustento de toda a familia com filhos pequenos e alguns adolescentes e outros já casados, então por volta de 1940 decidiu mudar-se para uma localidade entre o municipio de Capinzal e o de Herval D'oeste ambos em Santa Catarina, alguns filhos já casados permaneceram em Antonio Prado. Após a mudança, alguns filhos casaram-se em Santa Catarina.

Em torno de 1950, falou mais alto o espirito aventureiro desse imigrante e novamente decidiu-se mudar para novas terras adquiridas pelo filho Luiz que alguns anos antes já havia se instalado no municipio de Bituruna, no Oeste do Paraná. Nessa empreitada o seguiram alguns filhos solteiros e outros já casados.

 

abaixo os filhos do casal com alguns comentários individuais que foram:

 

Emilia Masiero nasceu na linha Almeida no povoado de Santana em Antonio Prado em 1904, onde cresceu e conheceu Jose Dezen com quem casou-se em 1922. Logo após o casamento mudou-se para a localidade de Nova Padua distrito de Flores da Cunha, onde nasceram todos os 10 filhos que são:

Isaias (1924), Maria (1926), Moisés (1928), Raquel (1930), Joaquim (1931), Aurora (1933), Gregorio (1935), Barbara (1939), Lurdes (1941), Assunta (1933). Os filhos de Emilia e Jose cresceram em Nova Padua, casaram e se mudaram para localidades entorno de Caxias do Sul.

 

Os filhos de Emilia e Jose casaram com :

Moisés casou em 1953 com Rosa Radaelli e tiveram 6 filhos;

Joaquin casou em 1952 com Elza Radaelli e tiveram 5 filhos;

Aurora casou em 1953 com Ivo Guerra e tiveram 4 filhos;

Barbara casou em 1959 com Luis Carlos Tessaro e tiveram 4 filhos;

Lurdes casou em 1961 com Alcides Galdini e tiveram 2 filhos;

Assunta casou em 1963 os com Antonio Zanella.

Após os casamentos dos filhos iam nascendo os netos e bisnetos de Emilia e Jose, que ou ficavam em Nova Padua - RS ou mudavam-se para outras cidades no entorno de Nova Padua e Caxias do Sul.

 

informações obtidas com Marcelino Carlos Dezen, descentente de Emilia.

 

Luiz Masiero nasceu na linha Almeeida no povoado de Santana em Antonio Prado em 1908, onde cresceu e conheceu Gema Dalgallo, com quem casou-se em 1931.

Em Antonio Prado nasceram os filhos:

Geraldo(1933), Severino(1936)e Angelo(1938).

 

Em torno de 1940 com os filhos pequenos companhou o pai na mudança para Capinzal em Sta Catarina mas após alguns meses seguiu sozinho para Bituruna no Parana, onde iniciou novo nucleo da familia Masiero.

Já morando em Bituruna tiveram os filhos:

Maria (1940), Teresa (1941), Olga (1942) e Lucia (1944) num total de 7 filhos.

 

Os filhos de Luiz e Alba Dalgallo casaram com :

Severino casou em 1961 com Glória Maria Nalon e tiveram 5 filhos;

Angelo neto casou com Michelina Nakoneski;

Maria casou em 1958 com Izidoro Nakoneski;

Teresa casou em 1971 com Antonio Alves Ribeiro e tiveram 3 filhos;

Lucia casou em 1971 com Antonio Nalon sobrinho e tiveram 3 filhos.

Após os casamentos dos filhos de Luiz e Alba, nasceram os netos e bisneetos, e moram na região até hoje.

 

informações obtidas com Angelo Masiero neto, descendente de Angelo.

 

Antonio Masiero nasceu na linha Almeida no povoado de Santana em Antonio Prado em 1909, la conheceu e casou-se em 1930 com Maria Antonia Carlin, e tiveram os 2 filhos que são:

João (1931) e Carolina (1933).

Em torno de 1940 acompanhou o Pai Angelo Masiero com toda familia para cidade de Capinzal em Santa Catarina. Novamente em torno de 1940 mudou-se novamente com Pai para cidade de Bituruna no PR.

 

Os filhos de Antonio e Maria casaram-se com:

João casou em 1952 com Angela Marcon e tiveram 7 filhos;

Carolina casou em 1957 com Diolindo Nalon e tiveram 6 filhos.

Após o casamento ddos filhos nasceram os netos e bisnetos e continuam morando na cidade de bituruna no Paraná, até hoje.

 

informações obtidas com Angelo Masiero neto, descendente de Angelo.

 

José Masiero nasceu na linha Almeida no povoado de Santana em Antonio Prado em 1910, onde cresceu e conheceu no local Cecília Cadore com quem casou em 1931.

Quando seu pai Angelo e os irmãos mudaram-se para Capinzal em SC, o casal não acompanhou os pais e permaneceram no povoado de Santana em Antonio Prado onde tiveram os 5 filhos que são:

Ângelo(1931), João(1932), Maria(1938), Severin (1940) e Elisa(1943).

Com o falecimento da esposa Cecilia em 1945, casou novamente com Virginia Santinom e com a segunda esposa teve mais os 4 filhos que são:

Teresa(1945), Santo(1947), Otacilio(1948), Armindo(1950), todos cresceram em Antonio Prado.

Os filhos de Jose e Cecilia casaram com:

Angelo casou em 1950 com Amabile Maria Brusamarello e tiveram 7 filhos;

João casou em 1964 com Zeli Maria Marin e tiveram 3 filhos;

Maria casou em 1960 com Nelson Marin e tiveram 6 filhos;

Severino casou em 1971 com Matilde Viapiana e tiveram 2 filhos;

Elisa casou em 1970 com Gilberto Bet e tiveram 2 filhos.

 

Os filhos de Jose com a segunda esposa Virginia Santinom casaram com: Teresa casou com Pedro Brusamarello e teve 1 filho;

Otacilio casou em 1977 com Delvina Maria Riva e teve 2 filhos;

Armindo casou em 1979 com Dorvalina Martello e teve 2 filhos.

Os filhos, netos e bisnetos de Jose após casarem mudaram-se para diversas cidade do RGS e outros Estados.

 

informações obtidas com Ari Masiero, descendente de Jose.

 

João Masiero nasceu na linha Ameida no povoado de Santana em Antonio Prado em 1913, onde cresceu e conheceu e casou em 1934 com Edvirge Camana também nascida no local, em Santana nasceram os filhos:

Maria (1935), Luiz(1937) e Antonio (1939) .

João em torno de 1940 mudou-se para Capinzal-SC, acompanhando o pai Angelo, la nasceram os filhos:

Narciso (1941), Jose (1943), Teresa (1945).

Em torno de 1950 mudou-se novamente com o pai Angelo e outros irmãos para Bituruna no Paraná, com todos os filhos pequenos e adolescentes.

 

Os 8 filhos de João e Edvirge Camana casaram-se com :

Maria casou em 1967 com Santo Mattiola e tiveram 6 filhos;

Luiz casou em 1955 com Alba Dalgallo e tiveram 2 filhos;

Antonio casou em 1959 com Elzira Pedron e tiveram 2 filhos;

Narciso casou em 1961 com Lucia Nalon e teve 1 filho;

Jose casou em 1964 com Lidia de Bastiani e tiveram 2 filhos;

Teresa casou 1965 com José Dalgallo e tiveram 6 filhos;

Oliva casou em 1968 com Ernesto Sandi;

Genoefa casou em 1969 com Angelo Dalgallo.

Dos filhos de João e Divirge que casaram, nasceram os filhos e netos em Bituruna a continuam morando na região.

 

informações obtidas com Ademir Masiero, Tânia Cristina Masiero, Deise Raquel Masiero, descendentes de Angelo.

 

Ana Masiero nasceu na Linha Almeida no povoado de Santana em Antonio Prado em 1915.

 

Estou procurando descendentes de Ana Masiero para montar a arvore genealógica dessa familia, quem souber pode me enviar um e-mail para emirmasiero@gmail.com.

 

Pedro Masiero nasceu na linha Almeida no povoado de Santana em Antonio Prado em 1920, onde cresceu, mudou-se com o pai Angelo para Capinzal-SC, la conheceu Rosa Casagrande casando com ela em 1941.

Antes de casar com Rosa, Pedro mudou-se com o pai para Bituruna no Parana, mas em 1941 voltou para Capinzal onde casou com Rosa Casagrande, e levou a esposa para morar no Paraná.

No Paraná, Pedro e Rosa tiveram 9 filhos que são:

Ângelo (1943), Assunta (1946), Amabile (1948), Olímpia (1950), Genoveva (1952), Zulema (1954), Zandira (1956), Iracema (1958), Ampelio (1960).

Os 9 filhos de Pedro e Rosa casaram com :

Angelo casou em 1963 com Adelina Santi e tiveram 4 filhos;

Assunta casou em 1964 com Francisco Sandi;

Amabile casou em 1968 com Adair Nunes da Rocha e tive 1 filho;

Olimpia casou com Pedro Antunes da Rocha;

Genoveva casou em 1972 com Alides Nalon e tiveram 3 filhos;

Zulema casou em 1974 com Osvaldo Gorges e tiveram 2 filhos;

Zandira casou em 1976 com Moacir Lodi e tiveram 3 filhos;

Iracema casou em 1977 com Mario Nalon e tiveram 3 filhos;

Ampelio casou em 1980 com Rosicler Fiorelli e tiveram 2 filhos.

Todos os filhos de Pedro e Rosa casaram com nascidas na região e os filhos e netos hoje ainda moram todos na região.

 

informações obtidas com Angelo Masiero neto e Amabile Masiero descendente de Angelo.

  

Graciosa Masiero nasceu na linha Almeida no povoado de Santana em Antonio Prado em 1921, em torno de 1940, com 19 anos, mudou-se com pai para localidade de Capinzal-SC, e la conheceu e casou em 1943 com Santo Casagrande, dessa união nasceram os filhos:

Assunta (1944), Valdemiro (1946), José (1948), Angelina (1951), Terezinha (1953), Augusto (1955) e Jandir (1957).

Graciosa não acompanhou o pai, em torno de 1950, quando ele mudou-se para Bituruna-PR.

 

informações obtidas com Jocemar Casagrande, descendente de Graciosa.

Estou pesquisando para obter infomações dos seus descendentes, netos e bisnetos de Graciosa e Santo Casagrande, em 2010 Jocemar Casagrande me passou algumas informaçõs. Quem souber pode me enviar um e-mail para emirmasiero@gmail.com.

 

Teresa Masiero nasceu na linha Almeida no povoado de Santana em Antonio Prado em 1922, cresceu em Capinzal-SC e la conheceu Ressieri Vergilio Marcon na localidade.

Dessa união nasceram os filhos: Pedro (1942), Maria (1943), Rosa (1945), Severina (1947).

em torno de 1950 mudou-se novamente acompanhando seu pai para Bituruna no Paraná onde nasceram os demais filhos que foram:

Arlindo (1949), Nadir (1950), Airto Marcon (1952), Airto Angelo (1953), Inês (1955), Aldiva (1957), Leomar (1959), Luiz (1961), Elza (1963) e Lucilda (1967) totalizando 15 filhos.

Os filhos de Teresa e Ressieri Virgilio casaram com:

Maria casou 1968 com Américo Vitório Franchin e tiveram 4 filhos;

Severina casou em 1967 com Pedro Sandi e tiveram 3 filhos;

Arlindo casou em 1962 com Lidia Ortigari e tive 1 filho;

Nadir jose casou em 1881 com IIvanir Stangerlin e tiveram 3 filhos;

Airto Angelo casou em 1961 com Marlene Cerlei Antonelli e tiveram 2 filhos;

Inês casou em 1963 com Jorge Fagundes e tiveram 2 filhos;

Aldiva casou em 1984 com Adão Perizzolo e tiveram 2 filhos;

Leomar casou em 1992 com Magali Natus e tiveram 3 filhos;

Luiz casou em 1996 com Roseli Rubbo e tive 1 filho;

Elza casou em 1986 com José Geschonke e tiveram 2 filhos;

e Lucilda casou em 1988 com Aurélio Sandi e tiveram 2 filhos.

Os netos e bisnetos de Teresa e Ressieri Marcon nasceram no municipio de Bituruna e continuam morando na região.

 

informações obtidas com Denise Daiana Marcon de Sá neta de Teresa Masiero..

 

Lucia Masiero nasceu na linha Almeida no povoado de Santana em Antonio Prado em 1924, onde cresceu e conheceu Antonio Nalon, e casaram em 1944 quando Lucia já morava com o Pai na cidade de Capinzal em Santa Catarina.

 

Estou pesquisando para obter infomações dos seus descendentes Lucia Masiero, quem souber pode me enviar um e-mail para emirmasiero@gmail.com.

 

Dozolina Masiero nasceu na linha Almeida no povoado de Santana em Antonio Prado em 1926, em torno de 1940, com 14 anos mudou-se com pai para Capinzal-SC, onde cresceu e conheceu Severino Favreto, e casaram-se em 1940 na cidade.

 

Estou pesquisando para obter informações dos descendentes de Dozolina Masiero casada com Severino Favreto, quem souber pode me enviar e-mail para emirmasiero@gmail.com.

 

Luiza Masiero nasceu no povoado de Santana em Antonio Prado em 1928, onde cresceu e conheceu Luiz Pelizzaro, e casaram-se em 1948 na cidade de Capinzal em Santa Catarina.

 

Estou pesquisando para obter infomações dos seus descendentes, quem souber pode me enviar um e-mail para emirmasiero@gmail.com.

   

Pesquisa efetuada inicialmente entre 2007 a 2011, atualizado em 2012, 1915 e 2020.

Emir Jose Masiero

Porto Alegre - RS - Brasil

atu-03/05/2020